4 de fevereiro de 2009

IRREVERENTE, MAS, VERDADEIRA!

Às vezes,
Sinto algo que não existe em mim.
Forças, energias, impulsos...
Irracionalmente sinto "coisas".
Não fazem parte do que desejo.
São mistérios!
Mistérios...
Em mim, no ar e no vento...
No dia e nas estrelas da noite...
Mistérios!!!!

Sinto o ‘amor por amor’,
O ‘desejo por desejo’,
O ‘tédio por tédio’,
O ‘gozo por gozo’...

Sinto o mar, a janela, o sol,
O céu , o nada,
O mato verde e deliciosamente aromático...

Sinto o calor transbordando pelos poros,
Sinto o frio de luzes apagadas...

SINTO, SINTO E SINTO!!!!

E, a arte de viver
(se existe alguma ‘arte’ em estar vivo...)
É exatamente sentir "tudo"
E saber filtrar "tudo",
Optar, redimensionar...
Abster-se e comprometer-se...(?)
Desdobrar o provável...
Desintegrar o óbvio...

Viver!
Arte??
Artista sou eu,
É você ...

SIM!!
Você!!!
Que nem sabe do que estou falando...

VOCÊ!!!
Que não tem tempo
E não "faz" tempo para mim...

Ahhhh, Vida!
Bela Vida!
Linda vida!
Respirar,
Tragar suspiros,
Sussurrar medos,
Desabrochar num amanhã qualquer
E encurralar o dia,
Esperar outro amanhecer...
Sem versos, rimas e métrica....

E, por falar em rimas...
Rimas?

Parabéns, Poeta!!

Nos "moldes"!!
Machucado!
Muito menos coerente do que prega!!!

É apenas uma metáfora!
Pois...
O VERSO,
O VERBO...
SOU EU!
Que tenho a coragem de
Vomitar nas rédeas do tempo...
E prosseguir a viagem!!


(Val/dezembro/2008/Irreverente!!!Mas, verdadeira!!)

Um comentário:

Tatiana disse...

Essa é a minha amiga Val...Grande Alma Poeta!

Desejo um belo final de semana para você!
Um beijo carinhoso