5 de novembro de 2008

SER



Colhi flores,
Enfeitei teu olhar,
Salpiquei sorrisos sobre tua lágrima,
Varri a poeira da incerteza,
Preenchi os cantinhos do teu ‘vazio’,
Afaguei teu lamento,
Embalei teu momento...

Fui pequena,
Fui enorme,
Fui quem tu desejavas...
Fui...fui...
E, apenas fui...

E, sendo assim,
Mesmo assim,
Sendo tua...

Indo...
Indo...

Buscarei mais flores
Para enfeitar o teu olhar,
Serei tua certeza,
Não permitirei lamentos,
Farei serenos teus momentos...

Serei ‘grande’...
Assim serei,
Sempre...
Em ti...
Sempre
Por ti...
(Val)

3 comentários:

Tatiana disse...

Sempre lindo tudo o que vc cria...
Vc exala Amor Val!
Beijos repletos de meu carinho

bruxamarytsha disse...

Adorei achar vc aqui, estou tentando aprender como linkar os blogs, me ensina? beijocas

lola disse...

Este poema parece com o jardim que está em minha alma toda.Parece meu olhar varrendo a "poeira da incerteza", mesmo quando tudo vem ao contrário dos sonhos..., Sem lamento, sigo , porque sei o tamanho das coisas que embalo dentro de mim, até nos cantinhos do imenso "vazio". Sei em ti..., por ti... , muito lindo isto!!! Emocionada e Encantada!!!