12 de outubro de 2008

A ROSA COR-DE-ROSA


A menina chega correndo

De alma feliz e coração de maçã

De olhos de estrela e pele de sol

A menina que hoje me permiti

Pisou areia, catou conchinhas,

Brincou de roda e amarelinha,

Sorriu entre tantos sorrisos,

Soprou sabão em bolhinhas,

Penteou a boneca,

Pintou o rosto e fez trancinhas...

A menina ... [ boba menina! ]

Tentou novamente,[ inutilmente!]

Se pendurar nos ponteiros

Do relógio da sala

Para fazê-los parar

Ou até mesmo voltar...

E, desistiu...

A menina chega correndo

Tira as sandálias coloridas

Sobe no salto e nas finas meias

Troca as bolinhas do vestido

Pelo estampado da saia justa,

O chocolate pelo baton,

O brilho dos olhos por

Brilho de olhos...

A menina já não chega correndo

Sai sem pressa levando na bolsa

O frasco quase vazio

Do seu melhor perfume

Uma caneta e o celular

Cheques e chaves...

A menina não resiste

E volta... correndo!!

Sobre a mesa, ao lado da cama,

A flor...

A rosa cor-de-rosa

Presente de um pássaro lilás

Que prometeu voltar...

Voltar sempre...

E ficar junto aos sonhos

Da menina...

Da mulher...
Sempre...


(Val)

Um comentário:

Tatiana Moreira disse...

Oi Linda Val!
Muitas pessoas me incentivaram a fazer um blog.
Ainda estou me adaptando...
Meio confuso esse mundo aqui.rsrs
Mas quero contar com a sua ajuda ok?
Sua poesia é linda!
Beijim