6 de outubro de 2008

UM AMOR ASSIM



Nascido a fórceps

Numa noite escura

À luz de velas...


E no parto eu o acolhi em meus braços,

Em meu peito, meus beijos, minha voz,

Em carinhos de mãos apaixonadas...


E o seu choro se fez sorriso...


Pequenino parecia

Mas, enorme já era.

Era grande no pulsar do coração,

Na ousadia dos gestos,dos gemidos,

Na fome de mim

Já era meu, e eu tão dele...


E eu o sentia crescer...


Orbitávamos ao redor da lua,

Escolhíamos estrelas

E derramávamos pingos

De luz e fogo

Sobre o planeta Terra...


Mas, chegou o Tempo...

E, em plena festa do Amor

O Dono da vida

Amou-o muito mais do que eu

E, sem muita explicação,

Transformou UM AMOR ASSIM

Numa pequena gota de saudade...

(Val)
................

Para uma pessoinha que tanto fez feliz meu coração.
Mas, Deus também o amou tanto, tanto...que o levou para perto Dele.
E, sem minha permissão...ele foi.
................

Um comentário:

lola disse...

Igual a sua grandeza, igual a sua natureza, ainda não vi. O que terá pensado o criador quando fez pessoas como você. Não sei... Obrigada. Valcris, por tudo que fez e faz em minha vida. Em hora alguma sua chama apagou-se quando a escuridão quis ser sobre minha alma uma coroa de espinhos. Quando quis ser sobre minha vida, a morte e fel da loucura. Lola.